domingo, 16 de setembro de 2018

Escritores versanianos participam de Chá Literário da Escola Francisca Trindade II



Na noite da última quinta-feira (13/09) a Unidade Escolar Deputada Francisca Trindade II, localizada na comunidade Lagoa do Prado, zona rural de Parnaíba/PI, realizou a culminância de seu projeto pedagógico de incentivo à leitura com um Chá Literário.

Na ocasião do evento, foram convidados pelo professor Fábio Costa, os escritores Versanianos Jailson Junior, Joyce Cleide e Marcello Silva. Após a recepção calorosa dos alunos, a coordenadora Francisca Sousa apresentou os trabalhos textuais produzido a partir do livro Versania. Posteriormente houve a composição da mesa de honra e as apresentações das melhores produções dos alunos, os quais receberam medalhas pelos textos selecionados.

Os escritores presentes palestraram sobre a importância da literatura na vida cotidiana, bem como no auxílio do desenvolvimento escolar do estudante. Cada versaniano demonstrou seu contentamento com o evento ao observar os trabalhos produzidos pela escola.

Findados os discursos, a Escola presenteou os escritores com livros contendo os textos produzidos no projeto pelos estudantes. Os escritores, por sua vez, presentearam a escola com o exemplar da 2ª edição da coletânea Versania, Jornal O Piagui, além do um exemplar dos livros, O Pescador e Homo Cactus de Marcello Silva.

Um coffee break reuniu todos em confraternização ao findar do evento. 






Veja como foi o lançamento do livro Homo Cactus em Chaval/CE


O dia 25 de agosto, parecia um sábado normal na rotina da nossa cidade, porém não foi. Mar. Vento. Poesia. Foi a combinação perfeita para o lançamento do livro Homo Cactus, do chavalense Marcello Silva

No final da tarde, junto ao por do sol, na barraca Gamboas, localizada no Porto do Mosquito, universitários, adolescentes, crianças, idosos e moradores das cidades circunvizinhas se reuniram para um bate-papo literário sobre as tramas que Marcello desenvolveu em seu livro de contos.

O bate-papo foi mediado pelo escritor parnaibano Pádua Marques, membro da Academia Parnaibana de Letras. Também marcaram presença os escritores Alexandre César, Carvalho Filho e Antonio José Sales.




Segundo o escritor pernambucano Marcelino Freire, o poeta deve conseguir vestir as palavras que escreve, o escrito Marcello Silva em seu livro Homo Cactus além de nos vestir de muitas memórias, nos levou ao encontro da nossa cultura. Isso foi demostrado através da apresentação teatral do grupo Cearensês, formado por alunas do ensino fundamental da Escola Epitácio Brito, que dramatizou um dos contos presente no livro, que narra a história de uma benzedeira.


Durante o bate-papo, o autor nos contou sobre seu processo criativo e a escolha do título da obra. Segundo Marcello, Homo Cactus representa a força, a resistência do povo nordestino, que mesmo diante de toda dificuldade, consegue criar poesia. Cada conto presente no livro, traz a vivencia do autor quando criança, são estórias ouvidas no alpendre de casa, muitas delas narradas pelos avós.

Rasga mortalha, imburana, benzedeira, lobisomem, pau-d’arco, curral, casa de taipa. Cada palavra nos leva ao imaginário popular cearense; cada palavra nos leva para dentro do sertão cantado por Luiz Gonzaga e versado por Patativa; cada palavra reafirma a força cultural do sertanejo, que R.E.S.I.S.T.E  como um Homo cactus.




Escrito por Neycikele Sotero
Fotos: Olhares Fotografia