domingo, 29 de junho de 2014

Sophia Sant

Sophia Sant ... mistério de mulher... 
Ou seria "a menina enigmática"?
Chega, entre lentes me olha rindo. Disfarça. Finjo não perceber...

Deixar está, senta...
Conversamos sobre tudo, desde os livros de John Green às teorias inacabadas de Newton.
Café esfria enquanto a observo... Sem olhar, percebo os movimentos de braços, o jeito ímpar de ajeitar os óculos. Cruza as pernas e me olha. Pareço alheio. Mas, só pareço...

No céu mostro-lhe a constelação "Cruzeiro do Sul" ou "Capricórnio" mas, o que tem as estrelas? a culpa não é delas (risos)

Sophia alterna entre risos e seriedade. Ora rir das minhas bobagens ou das delas, ora disserta sobre física quântica ou geopolítica...

Mistério...
Quem é Sophia Sant?
Ainda a ser desvendada...

Marcssilva - 29 de Junho de 2014

sábado, 28 de junho de 2014

À Sombra

Aqui á sombra da história, respiro
a tomar com Sócrates um chá
não sei se de hortelã ou cicuta.

É apaziguador está entre amigos
ver Newton adentrando suas teorias inacabadas;
ler de Drummond o poema que ele nunca escreveu;
discutir com Aristóteles quanto ás suas opiniões errôneas, ainda que ao findar da conversa, ele vença;
aplaudir as teorias platônicas do barbudo que descansa ali em frente;

È apaziguador está entre amigos,
presenciar, numa cadeira de balanço, Patativa declamar sua poesia popular
em contraste com Bilac sorridente a sua frente;
testemunhar na rede ao lado, Che Guevara descansando com sua boina ao peito, ainda
que Alexandre "O grande" saia pelo quintal gritando: "avançar" e ver Napoleão o acompanhar em seu cavalo de pau.

É apaziguador está entre amigos
notar que alheio ao barulho
Shakespeare tenta me dizer que não escreveu que a filosofia era vã, mas que foi erro de tradução;
deduzir que emana uma infinita paz de Gandhi em sua oração a chivas;
sentir olhares femininos pousando em mim
e por entre  coqueiros verificar Joana D'arc surgir com uma lança afiada
ao passo que Cleópatra brinca com suas serpentes debaixo da minha rede;
sentir o afago de Dalila acariciando-me os cabelos... é  apaziguador.


(...)

É apaziguador verificar que Da Vinci faz-me uma pintura
e se pergunto a ele quanto ao mistério de Monalisa, o porquê de tanta eloquencia,
bem sei que nada me responderá...

É apaziguador está entre amigos
mesmo que, de repente, adentrem a noite sem explicação alguma,
sumam misteriosamente sob a face da existência.

                                                                 Marcello Silva. Chaval/CE, 0909

terça-feira, 17 de junho de 2014

Considerações sobre o texto de Bertold Brecht (Perguntas de um Operário Letrado)

Quem está por trás dos grandes feitos e /ou acontecimento da História?



Cultuamos os nomes dos grandes “homens”. A história nos ensina a associar  um fato (acontecimento) a uma rosto (nome). Logo, a história continua seu curso tendo um único timoneiro ao comando, mas, não é a força braçal que a move? Quem são esses remadores? Que faces esses possuem? Quais seus nomes? Em que diário de bordo foi descritas suas características? Suas bravuras?



Para que os grandes nomes edificassem, no alto, as sua glórias, houve um alicerce moldurado por anônimos. Essa base edificada que a correnteza do tempo levou. Quem foram (são) eles? Indagamos curiosos enquanto a história continua a passar como um rio caudaloso que nunca desagua.



Ficaremos assistindo o passar das águas ou faremos uma jangada? (rs)


Marcello Silva. PHB, 2014

quinta-feira, 5 de junho de 2014

A obra completa de Mozart para download

O site Mozart Weltweit disponibilizou para download legal e para audição on-line, toda a obra do compositor austríaco Wolfgang Amadeus Mozart, composta por cerca de 700 peças, totalizando mais de 180 horas de música. Mozart foi o mais importante e prolífico compositor do período clássico. Suas obras são referenciais na música sinfônica, concertante, operística, coral, pianística e de câmara. Mozart compôs o primeiro concerto aos 11 anos de idade e o último em 1791, ano de sua morte, aos 35 anos.

Entre suas obras estão 41 sinfonias; 19 missas (incluindo o Requiem); 27 concertos para piano; concertos para trompas, flauta, oboé, clarineta, fagote e harpa, 12 árias de concerto; 13 serenatas; 50 canções para voz e piano e 24 óperas, com destaque para “A Flauta Mágica” “Idomeneo”, “Don Giovanni” “O Rapto do Serralho” “Cosi Fan Tutte” e “As Bodas de Fígaro”. Para fazer o Download basta clicar sobre a opção desejada, com o botão direto do mouse pressionado, e mandar salvar.
Clique no link para acessar:  A obra completa de Mozart para download
Fonte: Revista Bula

terça-feira, 3 de junho de 2014

Homenagem a Fco Thiago Gomes de Sá

Eu não sabia que Thiago morreria aos 21 anos de idade quando entramos pela primeira vez na UFPI tão silenciosos. Se eu soubesse teríamos feito maior algazarra gritando aos quatro ventos: "Nós somos calouros, cadê os tais trotes?"
Eu não sabia que ele morreria aos 21, quando pegamos a fila do RU (Restaurante Universitário) e o porteiro desconfiou se nós éramos, de fato, universitário. Se eu soubesse não teria ficado calado, observado Thiago convencendo o porteiro. Eu teria entrando na conversa e teria contado a última piada de Chico Anysio e rido junto com eles... Gargalhado.
Eu não sabia que ele morreria aos 21 anos de idade quando inventamos uma dancinha "esquisita" e Welligton Magalhães apelidou de "dancinha da gazela". Quando ele atravessou a Avenida São Sebastião dançando a tal. Se eu soubesse... teria dançado com ele. De lá ate hoje so atravessaríamos aquela avenida no ritmo da "dancinha"
 
Eu não sabia que Thiago Gomes morreria aos 21, quando viajávamos de carro de Chaval à Parnaíba e ele nos contava suas peripécias ou nos concedia entrevistas mirabolantes. Se eu soubesse teria rido mais, pedido mais... que o caminho se alongasse mais...
Eu não sabia que ele morreria tão jovem quando nos falava que ainda sentiríamos orgulho de um doutorado dele. Se eu soubesse eu não teria rido. 
Se eu soubesse que Francisco Thiago Gomes de Sá morreria aos 21 anos de idade eu não teria me afastado tanto. Ter ficado só em "oi" "olá" ou numa piada de vez em quando. 
Se eu soubesse ...

 Marcelo Silva.  Parnaíba, 02 de junho de 2014