segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Crônica de Natal | O Menino Augusto


Há três anos seguidos que Augusto esperava pela visita do Papai Noel. Aquele bom velhinho de voz rouca e roupa estranha, assim como ele era descrito pela professora. Nas outras ocasiões, Augusto dormira cedo e por isto, não viu quando o Noel passou. Mas, dessa vez seria diferente. Já com nove anos, ficaria acordado a noite toda, pois sonhava cada vez mais com sua bicicleta vermelha.


A noite chegou devagarzinho, com sua fome de loba, ingerindo a poeira crepuscular do dia interiorano. Augusto, de olhos atentos nos céus, nem quis jantar. Ceia? Não. Apenas, uma mistura de feijão, arroz, farinha e peixe pescado no açude defronte a casa. Nada ali lembrava o natal das histórias dos livros, que eram lidos na escola. Casa de taipa com lamparinas pelos cômodos. Não tinha chaminé. E por onde o Papai Noel desceria? 

A cada “estrela cadente” o coração de Augusto disparava. Não era. A noite foi se engessando a medida que eram apagadas as lamparinas, uma a uma. Restou silêncio e escuridão. O frio começou a incomodar a esperança daquela criança que acreditava no sonho de ter uma bicicleta vermelha. Mas, como? Papai Noel existe?

Pouco a pouco, a noite vencia Augusto. O galo já havia cantado, isto significava que era madrugada e as lágrimas quentes descia pelo rosto frio do menino que soluçava, desaguando a criança que até então, habitava ali... No Alpendre adormeceu.

SILVA, Marcello. Natal do Castelo Literário. Ano 2015 - Editora PenDragon

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Projeto “Pescando Poesia nas Escolas”


1 - Introdução
A elaboração desse pequeno projeto tem em vista dois objetivos: O primeiro objetivo visa apresentar as poesias do Livro O Pescador, fazendo com que os alunos tenham um contato diferenciado com a poesia. A ideia é que se trabalhe com o aluno de uma maneira mais livre, mais lúdica e menos escolarizada, por meio de atividades em se tenha a possibilidade de fazer inúmeras leituras de poemas escolhidos pelos alunos, sem se preocupar com exercícios rotineiros
O segundo objetivo é fazer com que os alunos se sintam motivados a ler cada vez mais, e por conta própria, textos poéticos; procurar estimulá-los por meio do prazer que a leitura de poemas pode proporcionar; buscar poemas na biblioteca, na internet, nos sebos, nas livrarias, etc.
2 - Conversa sobre poesia
O encontro se inicia com uma breve apresentação do autor e do livro O Pescador, de como foi produzido à obra.
A conversa continua com o diálogo com os alunos sobre poesia (o Pescador): gêneros, autor, título e formas de expressão.
Durante esta conversa, serão definidos poema e poesia e também trabalhar a função e difusão da poesia. Ou seja: o que ela significa na vida dos alunos, o que eles pensam sobre este gênero e como têm contato com ele. Neste momento será trabalhado também o conceito de linguagem poética, a exploração do sentido conotativo das palavras e a utilização das figuras de linguagem.

A rima
Uma das características que estruturam o texto poético: a rima. Uma abordagem sobre a rima e sua importância no contexto poético.
Verso e estrofe
Conceitos de verso e estrofe. Esclarecendo neste momento que cada linha do poema constitui um verso e o conjunto deles que, em geral, apresenta um sentido completo, formam uma estrofe.
Será abordado o verso livre como aquele que possui leis próprias, sem um ritmo predeterminado ou predefinido, no qual a metrificação obedece a um padrão mais livre, seguindo a sensibilidade do poeta e permitindo uma série de efeitos especiais não anteriormente experimentados pela poesia tradicional.

3 - Seleção, leitura em voz alta e discussão em grupo de poemas

A atividade estará voltada a um trabalho mais sistemático com a leitura. Primeiramente, em grupos (no máximo cinco pessoas), os alunos deverão escolher, dentre os textos do livro de poesia O Pescador, aquele texto (poema) que achar mais interessante.
ideia central é que os alunos tenham a possibilidade de ler vários poemas e que possam discutir entre si até chegarem a um consenso quanto ao poema. Depois disso, o aluno ou o grupo, podendo fazer uma espécie de jogral, poderá ler o poema escolhido. Será questionando a respeito do porquê da escolha, se os outros grupos também gostaram, qual a parte que mais chamou a atenção, etc.
Para finalizar, os textos escolhidos serão discutidos...

4 - Composição coletiva de um poema
Os alunos deverão se reunir em grupos de 4 a 5 alunos. Cada aluno deverá escrever, em um pedaço de papel, uma palavra. Pode ser uma palavra que eles achem bonita pela sua sonoridade, pelo seu significado, que traga alguma lembrança boa, etc. O grupo colocará as palavras em um envelope, que deve ser trocado com outro grupo. Cada integrante do grupo, após a leitura das palavras recebidas do outro grupo, tentará escrever um poema em que todas as palavras sejam utilizadas.
No final, os alunos que desejarem, poderão fazer a leitura dos poemas realizados.

Os alunos terão total apoio do autor 

Fotos do projeto (AQUI)
Realização do Projeto nas Escolas Monsenhor Carneiro e Luzia Cardoso (AQUI)